Axel Alonso, editor-chefe da saga, comenta sobre a suposta morte de um super-herói, que pode gerar um conflito ainda maior entre os dois lados e a escolha do Homem de Ferro e a Capitã Marvel como personagens centrais para estrelar a história.

A sequência de Guerra Civil, uma das mais populares sagas da Marvel Comis, começará em maio com uma expectativa de mudar algumas situações no universo e matar um importante personagem. Em entrevista ao CBR, Axel comentou sobre isso, claro sem dar nenhum spoilers.
Ele começa a entrevista comentando o por que de colocar Homem de Ferro contra a Capitã Marvel, Carol Danvers, em duas facções de heróis divididas por um dilema.
– Usar ou não um herói que tem o poder de antever crimes antes que eles aconteçam e ,assim, monitorar futuros criminosos:

“Capitã Marvel não foi escolhida logo de cara. Nem Tony. Nós deixamos que a história nos guie. Este conflito envolve dois lados com pontos de vistas claros, compreensíveis e defensáveis. Precisávamos achar dois personagens que tivessem o peso e a força de liderar isso, e Carol e Tony se encaixam, em termos de personalidade e de poderes”.

“Todo o trabalho que temos feito com Carol nos últimos anos a posicionam para este momento. Quando você ler a vindoura Captain Marvel #1 [HQ que sai quarta-feira nos EUA] você verá que ela se tornou extremamente poderosa e influente no Universo Marvel. Ela agora preside a nova Tropa Alfa e, para todos os efeitos, a equipe é a primeira linha de defesa da Terra contra ameaças de longe. Esse novo papel coloca essa diretamente no centro de Civil War II”, diz Alonso.

guerra-civil-2-capa-1

Mais sobre a morte: “Essa morte que já comentamos é um momento crucial na trama, um ponto de virada que afeta todos. Um personagem grande morre, e outro… Bem, você não vai olhar para eles do mesmo jeito”, diz Alonso. “Essa morte – que alguns chamariam de assassinato – é o desdobramento natural de uma cena de tensão crescente, que vira a história de cabeça para baixo. Vários fãs que já tenham um lado na disputa podem mudar de opinião, acredite.”

Relacionados

Deixe uma resposta